terça-feira, 16 de setembro de 2014

BA: Ministério Público encaminha ao TJ denúncia de assédio sexual contra Almiro Sena

O Ministério Público do Estado da Bahia acatou nesta segunda-feira (15) e encaminhou ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) a denúncia contra o ex-secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, acusado de assédio moral e sexual por servidoras da pasta estadual.

A partir deste momento, o Ministério Público aguarda o pronunciamento judicial do TJ-BA quanto ao recebimento ou não da denúncia. O processo só passa a existir após o posicionamento do Tribunal de Justiça.

Além da informação da denúncia acatada pelo órgão fiscalizador, o Bocão News apurou que uma cunhada do ex-secretário Almiro Sena, que trabalha na Secretaria de Justiça e teve a identidade preservada por este site, está entre as mulheres que fizeram a denúncia.

Na semana passada, as investigações sobre o caso foram concluídas e a Procuradoria Geral do Ministério Público da Bahia emitiu o parecer pela abertura do processo no Tribunal de Justiça da Bahia.

Denúncias

O Bocão News teve acesso, com exclusividade no dia 29 de maio, à denúncia feita por servidoras da Secretaria de Justiça, enviadas ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP) contra o secretário Almiro Sena.

No documento, as denunciantes pedem socorro para que os acontecimentos descritos não sejam esquecidos. "Assim como se fala por aí que já existem outras denúncias e que o secretário de Justiça e Promotor, Almiro Sena, usou de sua "influência" para arquivar tais processos”.Ministério Público encaminha ao TJ denúncia de assédio sexual contra Almiro Sena

O site também teve acesso a trechos da denúncia enviada ao Ministério Público da Bahia (MP). No depoimento, uma das supostas vítimas relata a forma como Almiro teria praticado o assédio sexual e moral. "...,sendo chamada diversas vezes em seu gabinete, onde foi constrangida pelo então secretário da pasta em seu gabinete... lá este abraçava, abordava assuntos e atitudes íntimas de maneira continuada, aproveitando o gesto para encostar na perna da servidora seu órgão sexual, além de tentar beijá-la à força", relatou.

(fonte, acesso em 16/09/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário