quinta-feira, 18 de setembro de 2014

BA: SINDPREV/BA e SINTSEF-BA realizam seminário sobre Assédio Moral no Serviço Público

Especialistas de diversas áreas deram palestras e esclareceram as dúvidas dos trabalhadores.

Por SINDPREV/BA - Priscila Teixeira.

Aconteceu na tarde de 12 de setembro, no auditório do Sindprev/BA, o seminário “O Assédio Moral no Serviço Público: Características, Impactos e Resistências”, realizado pelo Sintsef-BA. O evento também integrou o aniversário de 25 anos de lutas do Sintsef-BA.

Representando o Sindprev/BA, estavam Lucivaldina Brito, diretora da Secretaria de Políticas Sociais; José Coutinho, diretor da Secretaria de Formação Política Sindical; e Ricardo Mendonça, diretor da Secretaria de Assuntos Jurídicos. Representando a CNTSS/CUT estava Raimundo Cintra.

Especialistas de diversas áreas deram palestras e esclareceram as dúvidas dos trabalhadores. Em um primeiro momento a palestra foi dada pelo Auditor Fiscal e Médico do Trabalho Carlos Roberto Dias, que explicou que a tomada de consciência do assediado geralmente é lenta e que o assédio moral no ambiente de trabalho acarreta em danos físicos e mentais, iniciando principalmente com o estresse. Dr. Carlos Dias mostrou também os inúmeros sintomas causados pelo assédio, como perda do senso de humor, dores, esquecimentos, dificuldade de aprendizagem, entre tantas outras causas.

A segunda palestra foi realizada pela psicóloga Ana Cláudia Urpia, que explicou que todo gesto de ação ou palavra que atinge o indivíduo de forma a desestabilizá-lo se caracteriza em assédio moral. E entre as violências psicológicas que acontecem no ambiente de trabalho estão à cobrança exagerada, punições humilhantes, discriminação, desrespeito, depreciação, causando um estresse pós-traumático. Outra questão é a avaliação de desempenho, em que muitos chefes aproveitam dessa situação para rebaixar e inferiorizar o assediado.

E já em um terceiro momento, o advogado e Procurador do Distrito Federal Rogério Oliveira Anderson caracterizou o assédio moral do ponto de vista jurídico, explicando quando o assédio é proveniente da hierarquia, os tipos de assediador e quando o assédio é misto, ou seja, dos próprios colegas também. De acordo com ele, o assédio fere a dignidade humana, uma vez que se torna uma prática costumeira, ultrapassando o limite do bom senso.

(fonte, acesso em 18/09/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário