terça-feira, 2 de setembro de 2014

ES: Seminário encerra Semana de Prevenção ao Assédio Moral

Magistrados e servidores participaram do Seminário Assédio Moral: Aspectos Jurídicos e Psicológicos, na última sexta-feira (29/8), no Plenário do TRE-ES, em Vitória. A programação incluiu duas palestrates e debate.

A primeira palestrante, a psicóloga Lis Andrea Sobool , falou sobre as Consequências na Saúde a nas Relações. Segundo ela, existem dois tipos de assédio moral: interpessoal, quando tem um alvo determinado, e organizacional, em que o alvo é determinável. Este, de acordo com a palestrante, é mais comum, pois trata-se do assédio coletivo.

A prática do assédio moral contamina todo o ambiente de trabalho e traz sofrimento não só para o assediado mas também para o assediador. “Nem sempre o assediador tem consciência”, disse.

Andrea ressaltou que nem todo conflito é assédio moral. “Situações isoladas não são, tem que haver persistência e continuidade para caracterizar o assédio”, explicou a palestrante.

Assédio Moral no Serviço Público

A segunda palestra teve como tema Aspectos Jurídicos do Assédio Moral - Mitos e Verdades e foi proferida pela advogada Sara Hora Rocha . A palestrante enfatizou a diferença entre o assédio na iniciativa privada e no serviço público. Enquanto o primeiro acaba com a saída do assediado, o segundo pode perdurar por anos, devido à estabilidade.

De acordo com Sara, o assédio moral pode ser caracterizado como ato de improbidade administrativa. Apesar de não existir o “crime” de assédio moral, o assediador pode ser responsabilizado na esfera cível e penal.

Fotos: Cristina Fagundes

(fonte, acesso em 02/09/2014)

Um comentário:

  1. Esperamos que estas palestras se alastrem por todo o país e ajudem a divulgar a idéia de que o assédio moral é crime e traz graves consequências ao assediado.

    ResponderExcluir