sábado, 13 de setembro de 2014

RJ: Estratégias para combater o Bullying corporativo

Evento realizado pelos comitês de Saúde, Recursos Humanos, Responsabilidade Social Empresarial e Jurídico reúne especialistas na AmCham Rio.

Associado ao aumento da pressão e à cobrança por resultados, o assédio moral coletivo ou institucional é uma preocupação recorrente nas organizações. Ele gera impactos tanto na saúde quanto na produtividade dos profissionais, e pode ter consequências jurídicas. Para discutir o tema, os comitês de Saúde, Recursos Humanos, Responsabilidade Social Empresarial e Jurídico da AmCham Rio realizaram o evento Bullying corporativo – um problema real para as empresas, nesta quinta-feira (11/9). 

Os especialistas debateram acerca de como as empresas podem atuar de forma preventiva e no gerenciamento de conflitos, além de abordar suas implicações e seus efeitos negativos. 

Artur Rodrigues, procurador do Trabalho e Coordenador Regional da Coordenadoria da Promoção de Igualdade e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade), do Ministério Público do Trabalho; Wellington Santos, coordenador de RH e Gestão Social - IESA Óleo e Gás; Marie Bendelac, Executive & Wellness Coach - Be Coaching; e Cláudia Brum Mothé, sócia - Siqueira Castro Advogados, compuseram a mesa. Gilberto Ururahy, presidente do Comitê de Saúde da AmCham Rio, foi o moderador. O evento contou com o apoio da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio de Janeiro (ABRH-RJ). 

“O Ministério Público do Trabalho é o primeiro lugar em que se pode denunciar. Temos todas as condições de investigar o assédio moral e principalmente o assédio institucional”, disse Rodrigues, que também citou sindicatos, Justiça do Trabalho e Comissão de Direitos Humanos da OAB, entre outros, como locais que podem ajudar as pessoas que estejam enfrentando este problema. 

Veja mais imagens em https://www.flickr.com/photos/amchamrio/sets/72157647084052760

(fonte, acesso em 13/09/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário