sábado, 20 de setembro de 2014

SP: Câmara de Ribeirão Pires prepara documento pedindo transferência de secretário

A Câmara Municipal de Ribeirão Pires deverá aprovar na próxima quarta-feira documento solicitando ao prefeito Saulo Benevides (PMDB) que transfira de setor o secretário de Infraestrutura Urbana, Crispim dos Reis Santana, acusado por funcionários de estar praticando assédio moral. 

Folha Ribeirão Pires 

Pelo menos 40 servidores estiveram na sessão da última quarta-feira, cobrando dos parlamentares uma posição, já que segundo eles, mesmo após um encontro com o prefeito, as perseguições continuam no setor. 

Com faixas e cartazes em mãos e palavras de ordem, os funcionários pediam respeito, tanto do secretário, quanto de assessores do mandatário da Estância, que estariam pressionando os servidores para interromperem as manifestações. 

“Eles querem nos calar a força, não aguentamos mais o que está acontecendo na secretaria, vocês (vereadores) precisam agir”, diziam os funcionários. 

O vereador Professor Flávio Gomes (PPS) cobrou o fim das perseguições. “Não é possível que isso continue a acontecer, chega de assédio moral nesta Administração”, disse o vereador. 

Após muita discussão, o vereador Renato Foresto (PT), dizendo aconselhado por um vereador do grupo de apoio de Saulo, informou que iria apresentar na próxima sessão documento pedindo a transferência do secretário e que o requerimento teria o apoio dos demais parlamentares. 

“Um vereador veio até aqui e me disse que se eu apresentar um documento pedindo a transferência do secretário Crispim, ele assinaria, então vou fazer isso na semana que vem e podem ter certeza que teremos o apoio de todos os 17 parlamentares que estão com vocês”, disse Foresto aos servidores. 

O presidente da Casa, Edson Savietto, o Banha (PDT) também saiu em defesa dos manifestantes, o parlamentar chegou a dizer que irá propor mudanças no Orçamento 2015, para garantir aumento real nos salários dos servidores. 

“Vocês estão certos em reivindicar melhorias, temos que mexer no orçamento, garantir aumento real de salário e condições de trabalho, quero propor isso aqui”, disse Banha.

Em reportagem anterior, a Administração informou que os casos de assédio, relatados por servidores, serão apurados com a participação dos envolvidos, tanto aqueles em cargos de chefia, quanto os funcionários que de alguma forma se sentiram prejudicados. 

Quanto ao plano de cargos e salários, a Prefeitura de Ribeirão Pires reconhece o valor do funcionalismo e pretende reorganizar o plano de cargos e salários dos servidores, separando, inclusive, parte do orçamento 2015 para atender as demandas especiais postas pelos servidores.

Saia justa na Câmara de Ribeirão Pires

O vereador Flávio Gomes (PPS) colocou quinze dos 17 vereadores da Câmara de Ribeirão Pires em “saia justa” na sessão da última quarta-feira.

Após a vereadora Cléo Meira (PTN) dizer que ela e os demais vereadores tinham assinado documento de apoio às reivindicações dos servidores municipais, Flávio foi à Tribuna e disse que era mentira e que apenas ele e o vereador petista Renato Foresto haviam assinado o documento. A fala levou o público a vaiar os parlamentares e cobrar as assinaturas. 

O problema é que Cléo falava da moção de apoio, essa assinada por todos e Flávio de outro documento, proposto pelo vereador e por Foresto sobre assédio moral e que não havia passado pelos demais vereadores. 

“Eu estava me referindo ao outro documento, assinado por todos os vereadores, por favor, se retrate”, disse Cléo Meira que em seguida foi tirar satisfações com o colega. 

Flávio Gomes voltou à Tribuna, destacou que a moção havia sido assinada pelos 17 vereadores e se desculpou pelo mal entendido, aproveitando para pedir que os demais parlamentares assinassem o outro documento, e foi atendido pela maioria. 

Nos bastidores, parlamentares foram até o presidente e reclamaram da posição do parlamentar que teria colocado a todos em “saia justa” com os servidores.

(fonte, acesso em 20/09/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário