segunda-feira, 4 de maio de 2015

DF: IMBEL e empregados aprovam proposta de acordo no TST para encerrar estado de greve

Os representantes da Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) e dos empregados chegaram a uma proposta consensual para o Acordo Coletivo 2015/2016 da categoria, que se encontra em estado de greve. A proposta, de autoria do vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Ives Gandra Martins Filho (foto), em audiência de mediação realizada nesta quinta-feira (30), será apresentada até o dia 6 para análise pelas assembleias de empregados.

Por Redação Justiça em Foco, com TST 

Pelo acordo, o reajuste será de 8%, com piso salarial de R$ 1.065,53. O abono salarial terá o mesmo reajuste e será de R$ 1.080, a ser pago em parcela única. Já a cesta básica e o auxílio-creche serão reajustados em 20%, resultando no valor de R$ 503,32 para a primeira e 300,51 para o segundo.

Foi incluída ainda no acordo cláusula pela qual a Imbel se compromete a não admitir e tolerar "quaisquer atos que importem em assédio moral" contra empregados ou representante sindicais, se comprometendo ainda, em caso de ocorrência de assédio, a "apurar e tomar as providências necessárias para a pronta solução do problema".

A Imbel é uma empresa pública ligada ao Ministério da Defesa. Além da empresa, estiveram representados na audiência de mediação no TST o Sindicato os Servidores Públicos do Distrito Federal, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas de Lorena e Piquete, Sindicato Dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e Material Elétrico de Itajubá, Paraisópolis e Região, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Farmacêuticas e de Material Plástico de Juiz de Fora e Região, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, Informática, Material Eletrônico, Construção e Reparo Naval, Manutenção e Conservação De Elevadores, Material Bélico, Siderúrgica, Reparação e Manutenção de Veículos, Refrigeração e Materiais Elétricos do Município do Rio de Janeiro, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Produtos Químicos e Farmacêuticos, de Explosivos e de Material Plástico de Magé.

(fonte, acesso em 04/05/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário