domingo, 19 de julho de 2015

Portugal: Sindicato acusa hotel de Braga de "assédio laboral"

Em comunicado, o sindicato acrescenta que a administração visa "apenas e só despedir uma trabalhadora, delegada e dirigente sindical, acérrima defensora dos direitos dos trabalhadores e que, nessa qualidade, tem feito frente às práticas ilegais da empresa".

Por Notícias ao Minuto / Lusa

"Tal comportamento configura a prática do assédio laboral e visa perturbar e constranger a trabalhadora, afetar a sua honra e dignidade, criar-lhe um ambiente hostil, degradante, humilhante e desestabilizador", refere o mesmo comunicado.

O sindicato diz que já apresentou um protesto junto da empresa e requereu a intervenção "urgente" da Autoridade para as Condições do Trabalho.

A trabalhadora em causa disse à Lusa que recebeu, na quinta-feira, uma carta de despedimento, por extinção de posto de trabalho.

"Mas isto não significa que já esteja despedida. Hoje apresentei-me ao serviço, como era meu dever, mas não me deixaram ocupar o meu posto de trabalho. Estou a receção, a cumprir o horário", referiu Daniela Pereira.

Disse não ter dúvidas de que está a ser vítima de represálias pelo facto de ser delegada sindical e não calar a sua voz perante as "ilegalidades" alegadamente cometidas pela administração.

"Há três anos que não temos um único fim de semana, quando o contrato coletivo diz que temos direito a um fim de semana por mês. E eu não me canso de reclamar para que a lei seja cumprida", referiu.

Daniela Pereira trabalha há 8 anos naquele hotel, como empregada de andares.

"Somos quatro com esta categoria, sendo que uma está de baixa há um ano. Se agora vão extinguir o meu posto de trabalho, ficarão apenas duas. Não estou a ver como é que conseguirão assegurar o serviço", disse ainda.

A Lusa tentou ouvir a gerência do hotel, mas ainda não foi possível.

(fonte, acesso em 19/07/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário