quinta-feira, 6 de agosto de 2015

RJ: Bancários defendem 16% de reajuste, PLR e o fim do assédio e das metas abusivas

A 17ª Conferência Nacional dos bancários, que contou com a participação de 667 delegados de todo o país, deu mais um exemplo de democracia e capacidade de organização da categoria, definindo a pauta e as estratégias da campanha nacional 2015.

Por Bancários Rio / CUT-RJ

Os bancários aprovaram, no último domingo, 2 de agosto, na plenária geral, o índice de 16% de reajuste salarial (5,7% de aumento real + inflação do período), PLR de três salários mais R$7.246,82, defesa do emprego, valorização dos pisos, o fim do assédio moral e das metas abusivas, melhores condições de trabalho, de saúde e de segurança, fim das terceirizações e igualdade de oportunidades, entre outros itens de reivindicações. A Conferência foi encerrada com a aprovação também da estratégia de luta consagrada de unidade nacional e mesa única de negociação, respeitando as questões específicas dos funcionários dos bancos públicos e privados. "Agora é fortalecer a unidade e a mobilização de toda a categoria em nível nacional para garantirmos êxito nesta campanha salarial", disse a presidente do Sindicato do Rio, Adriana Nalesso.

Debates

Os delegados e delegadas que participaram da 17ª Conferência debateram também temas da conjuntura nacional, como as consequências do processo de terceirização, reforma tributária, desenvolvimento econômico e sistema financeiro nacional. Os bancários fizeram duras críticas ao novo aumento da taxa Selic, a taxa básica de juros, que passou para 14,25% ao ano, e ao ajuste fiscal do governo Dilma Rousseff, liderado pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Agenda

A Campanha Nacional dos Bancários começa oficialmente no dia 12 de agosto. Mas desde já, os bancários devem participar das atividades, como assembleias e encontros. No dia 5, o Comando Nacional de reúne em São Paulo, para concluir o texto com a pauta de reivindicações que será entregue à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos). No dia 6 pela manhã, tem o Dia Nacional de Luta na Caixa, em defesa da contratação de mais empregados concursados. No Rio, o ato será às 11h, em frente ao prédio do Barrosão. No final da tarde tem assembleia de ratificação da minuta, no auditório do Sindicato (Avenida Presidente Vargas, 502,21º andar), a partir das 18 horas e no dia 11 de agosto, o Comando Nacional entregará, em São Paulo, a pauta de reivindicações à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos).

Nossas principais reivindicações

· Reajuste salarial de 16%. (5,7% de aumento real + inflação)

· PLR: Três salários mais R$7.246,82

· Piso: R$3.299,66 (salário mínimo do Dieese)

· Vales alimentação, Refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês

·Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral

· Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade, combate às terceirizações e ratificação da Convenção 158 da OIT (Coíbe dispensas imotivadas).

· Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.

· Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós-graduação

· Segurança: Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários; Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas; Abertura e fechamento remoto das agências e fim da guarda das chaves por funcionários.

· Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transsexuais e pessoas com deficiências

(fonte, acesso em 06/08/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário