terça-feira, 1 de setembro de 2015

Estados Unidos: Estudo mostra que faz mal trabalhar com homens

Investigadores da Indiana University Bloomington (Universiadade de Indiana), nos Estados Unidos, descobriram que em empresas cuja maioria dos trabalhadores são homens- como acontece nas àreas da tecnologia, informática e engenharia- existe uma maior tendência para que seja feita pressão psicológica sobre as mulheres que estão em minoria.

Por Sabado.PT

Estas mulheres demonstraram uma desregulação nos níveis de cortisol - uma hormona responsável pela resposta ao stress.

Estudos anteriores feitos pela mesma equipa já tinham mostrado que 85% das mulheres que trabalham em locais onde os homens estão em maioria enfrentam alguns obstáculos como o isolamento social, assédio sexual, desconfiança entre colegas relativamente às suas competências, e dificuldades em subir na hierarquia da empresa.

"As descobertas que fizémos são realmente importantes, porque os perfis femininos que encontrámos com níveis negativos de cortisol fornecem evidências de que os climas sociais nos locais de tabalho são muito desiquilibrados e as mulheres são as principais vítimas. Os níveis de stresse encontrados podem trazer graves problmeas na saúde física, psicológica e emocional destas mulheres", afirmou Cate Taylor, professora assistente na universidade onde o estudo foi realizado. Uma exposição intensiva a este tipo de stress social provoca uma maior vulnerabilidade para sofrer de doenças e para a mortalidade, exactamente devido à desregulação da resposta do corpo humano. 

(fonte, acesso em 01/09/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário