sexta-feira, 25 de setembro de 2015

MG: MPT vai promover seminário sobre Assédio Moral no Teleatendimento

Assédio Moral no setor de Teleatendimento será tema de um seminário que o Ministério Público do Trabalho (MPT) vai promover no auditório ESAJUP da Universidade Federal de Uberlândia, no dia 1º de outubro. A atividade integra uma campanha nacional do MPT contra o assédio moral neste setor.

Por Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais

"O teleatendimento é um dos setores que mais cresce no país, com mais de 1,5 milhão de trabalhadores atualmente. Na região Uberlândia, estão em operação 11 empresas do ramo, que juntas empregam aproximadamente 12 mil pessoas, por isso escolhemos a cidade para sediar as atividades da campanha em Minas Gerais", explicam os organizadores do evento em Minas, Silvia Bernardes Rossi e César Henrique Kluge.

Foram convidados representantes de empresas de teleatendimento de Uberlândia e Uberaba, sindicatos profissionais e patronais dos setores de teleatendimento e do comércio, bem como representantes do MTE, do Fórum de Saúde e Segurança do Triângulo Mineiro, do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O evento será aberto com uma palestra ministrada pela procuradora Silvia Bernardes Rossi sobre a atuação do MPT em face do assédio moral no teleatendimento. Além disso, a psicóloga da UFU Maristela de Souza Pereira vai falar sobre os efeitos do assédio moral na vida do trabalhador. Já o procurador do Trabalho Cesar Henrique Kluge falará sobre o assédio moral na perspectiva da Justiça do Trabalho.

Prática de Assédio Moral

A prática de Assédio Moral é bem mais frequente do que se supõe. "No telemarketing, o assédio moral ocorre, na maior parte dos casos, por meio da cobrança abusiva do empregador, que impõe resultados e metas exageradas aos empregados. É comum empregado que não bate meta ser ridicularizado por superiores, seja perante os colegas de trabalho ou no particular. Em outras situações, o empregador envia e-mail com o nome de todos os operadores que não estão cumprindo as metas, expondo, assim, a pessoa ao ridículo", relata a procuradora.

Segundo uma pesquisa realizada com mais de 70 mil profissionais pelo site Vagas.com, o assédio moral foi identificado como o tipo de abuso mais comum, apontado por 47,3% dos profissionais que responderam a pesquisa. Só em 2014, o MPT em Minas Gerais abriu mais de 260 investigações para apurar denúncias de assédio moral. Apesar do grande número de processos, os funcionários têm medo de denunciar as empresas, e, entre os receios mais comuns estão o de perder o emprego (39%) e o de sofrer represália (31,6%).

O Seminário conta com o apoio do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e do Escritório de Assessoria Jurídica Popular (Esajup) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Serviço: Seminário sobre Assédio Moral no setor de Teleatendimento

Data: 1º de outubro de 2015
Horário: 14 horas
Local: Auditório ESAJUP da Universidade Federal de Uberlândia

Programação:

14h00 – Abertura
14h15 – Os efeitos do assédio moral na vida do trabalhador
Psicóloga da UFU Maristela de Souza Pereira
14h45 – Atuação do MPT em face do assedio moral no teleatendimento
Procuradora do Trabalho Silvia Bernardes Rossi
15h15 – O assédio moral e a Justiça do Trabalho
Procurador do Trabalho Cesar Henrique Kluge
16h10: debates e encerramento

(fonte, acesso em 25/09/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário